As terapias inimigas das dores





Compartilhar

Não só de medicamentos vive o tratamento das dores crônicas. Acupuntura, fisioterapia, pilates e meditação podem ser utilizados para aliviar o desconforto. Segundo Durval Campos Kraychete, coordenador da especialização em Clínica de Dor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), o conforto do mal crônico deve ser feito de maneira interdisciplinar. Pois, para minimizar os danos do organismo, é necessário atuar em diversas frentes. "São todas práticas complementares no tratamento. Por exemplo, a psicoterapia é uma grande aliada, pois ajuda no controle emocional e relaxamento dos pacientes", lembra Durval, que também é vice-presidente da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (Sbed).

 

Semanas depois de ter a primeira filha, a pedagoga Sheila Cavalcante começou a sofrer com crises de dor constantes, afetando todo o corpo. Na época, além do desconforto físico, existia a responsabilidade e o desgaste por cuidar da recém-nascida. O resultado foi incômodo cada vez mais intenso. "Era (dor) na coluna, na cabeça. Até respirar era dolorido", lamenta. A solução para o problema de Sheila, hoje com 34 anos, foram sessões de fisioterapia e remédios indicados por um médico.

Ao agir diretamente nos pontos-gatilho e diminuir o estímulo doloroso enviado ao sistema nervoso central, a fisioterapia consegue trazer alívio para os pacientes. Segundo Janete Mourão Carvalho, profissional da área, o tratamento deve ser feito em casamento com alguma terapia manual. "Assim, vamos ter mais relaxamento dos tecidos tensos", diz.

O doente deve ser abordado com um todo, ofertando tratamentos multidisciplinares e fazendo uso de medicação que pode variar de analgésico simples, um recaptador de serotonina e noradrenalina, até um opióide, conforme a intensidade da dor, explica o presidente da Sbed, José Tadeu Siqueira.

Outra modalidade eficiente no combate à dor crônica é a acupuntura. Recurso da medicina tradicional chinesa, ela é realizada através da inserção de agulhas de pequenos calibres em determinados pontos para fazer o equilíbrio energético. De acordo com Érika Brasil, dentista habilitada nesta modalidade, o organismo humano possui circuitos elétricos funcionando e, ao ativar os locais corretos, é feita uma comunicação energética que resulta no relaxamento do corpo.


Para José Tadeu, além disso, é necessário o amparo psicológico. "A dor crônica é acompanhada de distúrbios do humor que, quando não tratados, levam à falência do tratamento. A acupuntura é muito útil e beneficia os pacientes quando não alcançam uma analgesia total, e também conseguem diminuir significativamente a carga medicamentosa", comenta o presidente da Sbed. (Isabel Costa)

Número

42% da população brasileira sofre com dor de cabeça tensional, aquela provocada por estresse diário.

2% da população da população brasileira tem enxaqueca crônica, quando a dor persiste por mais 15 dias do mês, durante um trimestre - segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia

13 é o número de medicamentos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para o tratamento da dor crônica, segundo dados fornecidos pelo Ministério da Saúde.
116 mil pessoas receberam auxílio-doença no Brasil, entre janeiro e novembro de 2012, devido a problemas de dor nas costas. A informação é do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).


Comente:

Nenhum comentário

Comente com educação