Tui Na




Ficamos muito satisfeitas quando, com uma só medida, solucionamos vários problemas que parecem meio emperrados, não é mesmo? A resolução tem aquele gostinho de alívio, motivação e faz pensar que, a partir daí, tudo vai se desenrolar mais facilmente.

Que tal então, transferir essa situação para algo que nos preocupa bastante e que deve estar sempre entre as nossas prioridades: saúde e bem-estar? Pense num método que consegue, ao mesmo tempo, equilibrar as funções do organismo, acelerar o processo curativo das doenças que já se manifestam em nosso corpo, além de relaxar física e emocionalmente, harmonizando nossas vidas.

Parece muito? Inalcançável? Pois pode esquecer esses rótulos. Essa prática existe e é muito, mas muito antiga. Trata-se da tui-na, uma espécie de massagem terapêutica pertencente à Medicina Tradicional Chinesa: "A tui-na é o mais antigo e completo método da sabedoria oriental. Ela foi o início de tudo, auxiliando inclusive a fundamentar outras técnicas como a acupuntura e o shiatsu", explica Helena Peirão, coordenadora do espaço terapêutico Shamash, em Itacaré, na Bahia.

Com esse método abrangente, os especialistas mobilizam o sistema imunológico e podem até mesmo curar problemas nos músculos, articulações, ligamentos, disfunções circulatórias, distúrbios digestivos e intestinais, além dos males com fundo emocional como a insônia e a depressão. E quer saber mais? É uma delícia!


Conheça as oito principais manipulações da tui-na:

- Tui - aplicação de uma pressão com as mãos ou dedos sobre um ponto específico da acupuntura
- Na - de pegar a pele e seus tecidos subjacentes, como se fosse uma massa. Deu origem à palavra massagem
- Zhua - dar leves beslicões na área massageada
- Mo - friccionar as mãos ou os dedos contra a pele da paciente
- Anmo - bater de forma suave e rápida, utilizando mãos e punhos
- Zuan - movimentos rotatórios sobre a pele ou membros
- Gun - rolar o punho ou a mão sobre a pele
- Shen - puxar uma parte do aparelho locomotor, alongando sua musculatura
Durante as sessões de tui-na, os terapeutas também podem lançar mão de coadjuvantes para auxiliar no tratamento. Nessa aplicação, a especialista utiliza o mesocarpo do coco de babaçu, um pó que melhora a circulação sangüínea e promove a desobstrução energética. É comum também o uso do bastão de moxa, de argila e de emplastros à base de gengibre.

Ensinamento secular
Em chinês, "tui" significa pressionar e "na" amassar. Por conta disso, acredita-se que já os povos primitivos, mesmo sem saber, utilizavamse dessa prática para tratar males do corpo.

As mãos, instrumentos-chave dessa forma de massoterapia, são um dos "remédios" mais antigos da humanidade. Quando ainda não existiam os medicamentos, os povos usavam medidas instintivas para tentar sanar seus problemas, massageando e esfregando as mãos no outro, assim como se faz na tui-na.

Mas, como já mencionado, foi no Oriente que a técnica se fundamentou. Os chineses contam com esse método há cerca de cinco mil anos, porém, somente em 1980, criaram o Comitê Nacional de Tui-Na, que reuniu todas as bases da técnica.

O intuito era organizar os conhecimentos existentes, sem atingir as particularidades de cada uma das escolas que foram surgindo no decorrer dos anos. Em 1990, a Enciclopédia de Massoterapia Chinesa foi publicada. Nela encontram- se todos os preceitos da tui-na.


Físico, mental e energético


O mais relevante diferencial da tui-na, em comparação às outras massagens existentes, é que ela utiliza como princípio a estimulação dos meridianos de energia e dos cinco órgãos principais: coração, rim, pulmão, estômago e fígado.

"No shiatsu também há a base nos meridianos, mas é diferente. Ele é, praticamente, uma acupuntura com as mãos. Na tui-na, o processo é muito mais intuitivo. O terapeuta vai percorrendo os caminhos da energia vital no nosso corpo, escorregando pelos meridianos, desobstruindo os canais. É um trabalho mais amplo", diz Helena.

Nessa massagem, o especialista usa os dedos, mãos, antebraços e cotovelos para realizar mais de cem manobras específicas entre rolamentos, fricções, pinçamentos e ondulações. De pronto, são trabalhados os músculos e as articulações.

O sistema nervoso, responsável por coordenar a atividade muscular, monitorar os órgãos, construir e finalizar estímulos de nossos sentidos, também é favorecido: "Os problemas que envolvem a musculatura e as articulações, como tendinite, ruptura nos ligamentos e aparelho locomotor debilitado se beneficiam muito", explica a Monica Soyoko Yano, terapeuta do Spa da Alma, em Atibaia.

Além disso, as manobras auxiliam a circulação sangüínea, irrigando os órgãos e tecidos que são estimulados a funcionar de forma equilibrada. Daí vem o alívio de dores físicas e da enxaqueca, por exemplo.

Vale lembrar que o sistema linfático é impulsionado, auxiliando a liberação de toxinas e ajudando a perda de peso, por amenizar a retenção de líquidos.

Uma vez que faz parte da Medicina Tradicional Chinesa, essa vertente da massoterapia não poderia deixar de se preocupar com o fluxo energético do nosso corpo: "A massagem funciona como uma verdadeira desatadora de nós. Por meio das manipulações, vamos localizando as obstruções nos canais de energia vital (Qi) e trabalhando-as, para que elas circulem de forma adequada e não comprometam nenhuma parte do corpo", enfatiza Helena.

Ela explica que, na tui-na, é empregado o conceito do yin e yang: "A pessoa precisa estar em equilíbrio com esses conceitos. O yin revela uma pessoa muito ligada ao interno, introspectiva e deprimida. Já o yang mostra alguém que está preocupado demais com o externo, que acaba esquecendo de si mesma. "Nenhuma dessas dualidades é positiva ou negativa, tem que existir um ponto intermediário".

Informações que podem ajudar a diagnosticar os problemas, bem como definir em qual dos perfis o paciente se encaixa, vêm de várias formas. No geral, o especialista utiliza um questionário para levantar fatos importantes e marcantes da vida do atendido, a chamada anamnese.



É comum também a utilização da pulsologia e a verificação dos sinais do corpo: "Através da palpação do pulso do paciente é possível saber se ele tem excesso ou insuficiência de energia. Todas as manifestações externas também são úteis ao diagnóstico. Irritabilidade, sensibilidade exagerada, marcas, tudo isso sinaliza deficiências e indica caminhos", diz Monica.

Incontestável é também o efeito relaxante da técnica: "É um momento em que a paciente pode se livrar do estresse, entrar em contato consigo mesma, se sentir bem". Sabemos que os desequilíbrios emocionais acabam desencadeando as chamadas doenças psicossomáticas, por isso, a necessidade de promover o bem-estar e aquietar a mente.

"O ideal é que a tui-na seja empregada como método preventivo continuamente, se possível. Equilibrando as funções orgânicas e as nossas emoções, reduzimos a incidência das doenças", finaliza Monica


Sem restrições

Todo mundo pode usufruir dos benefícios e da sensação prazerosa provenientes da tui-na, mesmo as crianças e as mulheres em estado de lactação.

Você sabia?
Na China, um massoterapeuta habilitado a atuar com tui-na cursa seis anos de universidade, assim como nossos médicos.

Tenha um dvd explicando movimentos da massagem Tui-Na. Clique aqui

Comente:

Nenhum comentário

Comente com educação