Como funciona o Reiki?




s sessões de Reiki são verdadeiras transfusões de energia para os centros de força (chákras), mas a quantidade e a qualidade da força que o paciente receberá durante uma sessão dependerá do que ele estiver precisando naquele momento



Certamente, se a doença for mais grave, serão necessárias mais aplicações ao longo do tratamento. Logo que os chákras coronário (no topo da cabeça), frontal (entre os olhos), laríngeo (na garganta) e cardíaco (no peito) são ativados, a energia passa a fluir livremente pelo organismo.

No caso de Maria Lúcia Araújo, o Reiki foi indispensável para prepará-la para uma cirurgia nos olhos, visando a retirada de um tumor e garantir uma rápida recuperação, contrariando todas as previsões médicas. Além de aplicar a técnica em si mesma, Lúcia contou com a ajuda de amigos, também terapeutas, que intensificaram as sessões um mês antes de a operação ser realizada.

Segundo Claudete, o procedimento é altamente transformador e, após o primeiro contato, a pessoa já não se sente mais a mesma. “Reiki é a energia divina. Por isso, é importante estar pronto para receber essa luz superior. Todos os cursos devem começar com uma iniciação: momento de preparação do aluno para se tornar o canal da energia ‘rei’. O iniciado passa por uma limpeza profunda, para que a conexão seja perfeita. Só assim poderá realizar as curas, com a correta imposição das mãos nos chákras correspondentes”, orienta.

Segundo Maria Lúcia, essa transformação acontece logo na iniciação em Reiki, mas se torna cada vez mais clara com a vivência da terapia, da cura em si mesmo e em outras pessoas, que causa, aos poucos, um alargamento de consciência, à medida que a prática se intensifica.

Por esse motivo, a técnica é dividida em níveis: no primeiro, a pessoa aprende a ativar a própria energia vital e também a dos outros (pessoas, plantas ou animais). Essa energia é despertada e será absorvida onde for necessária naquele instante. Ela pode atuar no corpo físico, na intuição, no intelecto ou até mesmo em emoções e sentimentos.

No segundo nível, a essência do Reiki é revelada. Os símbolos, considerados sagrados, que acabam com noções de tempo e distância, são aprendidos pelo praticante. Por essa razão, o recurso também pode ser aplicado em uma pessoa, ou qualquer outro objeto, que esteja longe do terapeuta. Nesse estágio, o foco da cura são as doenças mentais que repercutem nos corpos físico e etérico.

“Reiki é a energia divina, por isso, é importante estar pronto para receber essa luz superior”
CLAUDETE FRANÇA

O terceiro nível é dividido em dois: o 3-A capacita o reikiano a usar uma energia considerada especial, que pode levá-lo ao autoconhecimento, a ser “mestre de si mesmo”. A partir desse grau, o praticante pode usar o método para trabalhar na cura dos males que atingem o planeta. O 3-B habilita o terapeuta a realizar iniciações e a ministrar cursos. Para chegar a esse estágio, a Associação Brasileira de Reiki aconselha a ter, no mínimo, cinco anos de experiência.


MUITOS CASOS DE SUCESSO
Não faltam exemplos de transformações ocorridas na vida de pessoas que cruzaram com o Reiki em seus caminhos. O dentista Roberson Rissardo, de 38 anos, passava por uma crise renal quando teve o primeiro contato com a técnica, em 2003. “Foi uma sessão rápida, mas senti uma carga elevada de energia. Naquele momento, não entendi muito bem o que estava acontecendo. No dia seguinte, consegui expelir um cálculo que me causava muitas dores. O Reiki foi um ‘divisor de águas’ que me fez estudar muito e me proporcionou uma série de mudanças de atitudes”, analisa.

Claudete explica, com entusiasmo, quais os motivos que a fizeram seguir o Reiki: “Ele age no equilíbrio e na qualidade de vida, naquilo que o paciente está precisando na hora em que procurou a cura. Seus princípios estão no presente. Não adianta se lembrar de um passado maravilhoso se ele já não faz mais parte de sua vida. Assim como pensar no futuro só leva à ansiedade. O que importa é aqui e agora”, declara a psicóloga.

A terapeuta ressalta que o Reiki não tem qualquer ligação com crenças ou religiões. Apesar de considerar – como a maioria dos mestres – seus símbolos como representações sagradas de energia, ela afirma que o método é, na verdade, uma ferramenta espiritual para a cura, que deve ser difundida, porém, preservada.

A terapeuta ressalta que o Reiki não tem qualquer ligação com crenças ou religiões. Apesar de considerar – como a maioria dos mestres – seus símbolos como representações sagradas de energia, ela afirma que o método é, na verdade, uma ferramenta espiritual para a cura, que deve ser difundida, porém, preservada.
PRINCÍPIOS DO REIKI:
- hoje eu abandono a raiva
- hoje eu abandono as minhas preocupações
- hoje eu conto com todas as minhas bênçãos
- hoje eu faço o meu trabalho honestamente
- hoje eu sou gentil com todas as criaturas vivas

O Reiki é recomendável em casos de:
- estresse
- dores de cabeça, gripes, alergias
- perturbações emocionais, como depressão, ansiedade e insônia
- baixa auto-estima, falta de memória e criatividade
- para aliviar a dor em doenças crônicas
- complementar e aumentar os benefícios de um tratamento à base de medicamentos.

Saiba mais sobre os profissionais clicando aqui

Fonte: http://itodas.uol.com.br

Comente:

Nenhum comentário

Comente com educação