Terapia alternativa na estética: bambuterapia





O que é Se você pensa que já inventaram tudo que era possível de bambu — de bandeja de café da manhã a camiseta ecológica —, espere até testar a técnica francesa de massagem em que, em vez dos dedos, o profissional utiliza bambus de diferentes comprimentos e diâmetros para a realização dos movimentos. As manobras podem ser suaves, para relaxamento, ou mais vigorosas, para ajudar na redução de medidas.

Indicação Celulite, gordura localizada, culote, retenção de líquido.

Como funciona O profissional aplica um creme para facilitar o deslizamento do bambu — ele pode conter ativos calmantes ou que estimulem a queima da gordura, de acordo com o objetivo do tratamento. Os bambus de menor calibre são utilizados para massagear o rosto e os pés, enquanto os maiores e mais grossos são reservados para as áreas mais extensas, como as costas e as pernas. “Os movimentos rigorosos de amassamento dissolvem a gordura acumulada no culote, glúteo e posterior de coxa”, diz a fisioterapeuta Rosane Mattos, da Clínica Dicorp, no Rio de Janeiro. Movimentos trepidantes — ainda com um pouco de pressão — ativam a circulação sanguínea para facilitar o aporte de nutrientes e aliviar a compressão dos vasos. No abdômen, movimentos circulares ajudam a modelar a cintura. Para terminar a sessão, que dura aproximadamente 1 hora, o terapeuta massageia o corpo com o bambu, realizando manobras circulares e ascendentes, que estimulam a drenagem linfática. No início da sessão, você pode sentir um pouquinho de dor, principalmente quando o bambu é pressionado contra pontos de grande acúmulo de gordura ou de celulite, mas a parte final do tratamento é bastante relaxante.

Sessões Duas por semana. A partir da quinta sessão, é possível ver os resultados.

Contraindicação Alterações cutâneas, infecções, febre, baixa imunidade e gravidez.

Comente:

Nenhum comentário

Comente com educação