Terapia das cores ajuda no equilíbrio do ser humano





Ao que tudo indica, os estudos da aplicação das cores visando auxiliar a saúde e alterar o comportamento dos seres humanos são milenares. Forte indício disso é que os princípios da cromoterapia integram duas tradicionais medicinas vindas do Oriente: a chinesa e a ayurvédica, de origem indiana. Outro sinal é que seus fundamentos já eram conhecidos no Antigo Egito e na Grécia.

Para equilibrar o ser humano e promover uma melhora em sua saúde, a cromoterapia vale-se sobretudo das sete cores do espectro solar: vermelho, alaranjando, amarelo, verde, azul, anil (ou índigo) e violeta. Segundo estudiosos, essas cores correspondem aos princípios da constituição do Homem. Quando encontram-se equilibradas, sem a predominância de uma ou a falta de outra, o indivíduo está em harmonia em todos os seus níveis de existência: físico, energético, mental, emocional e espiritual. No entanto, quando há desequilíbrio entre esses princípios, o indivíduo se vê afetado negativamente em um ou mais destes níveis.

De acordo com especialistas, a cromoterapia pode ser utilizada como tratamento complementar à medicina convencional - sem quaisquer interferências nas prescrições médicas - ou na terapia preventiva. Segundo eles, outros dois pontos revelam-se favoráveis ao uso das cores de forma terapêutica: a facilidade de aplicação e a eficiência.

Além disso, os benefícios podem ser notados em pacientes de qualquer idade, mesmo os bastante jovens. "Tenho utilizado na orientação dos pais e no tratamento de crianças com hiperatividade e até com diagnóstico de estresse. Para minimizar isso, o ideal é fazer uso de cores mais leves, de azuis e tons pastel como rosa, creme e verde-claro", afirma Etles Maziero, professora de cromoterapia que atua na área desde 1993.

FIO DO NOVELO - A terapeuta recorda que, recentemente, orientou os pais de uma criança que não conseguia dormir. Além de estar cercado por tons escuros como o preto e o marrom, o bebê permanecia em um quarto em que uma lâmpada vermelha era mantida acesa. Além de recomendar a mudança das cores escuras por outras mais claras, Etles aconselhou que o quarto passasse a ser iluminado por uma luz azul ou permanecesse às escuras. E assim foi feito. O resultado foi imediato: a criança passou a dormir sem problemas.

"É preciso achar o fio do novelo", resume Etles ao falar sobre as etapas anteriores à aplicação das cores. Em um atendimento, o cromoterapeuta analisa o caso de cada cliente e estabelece um tratamento personalizado. Em geral, é feita uma entrevista inicial seguida de uma análise psicológica, em que são levados em consideração os motivos que levaram - sejam eles físicos ou emocionais - o cliente a procurar a cromoterapia.

E por fim, o cromoterapeuta avalia as melhores cores para eliminar - ou ao menos minimizar - os desequilíbrios que o paciente apresenta e qual a melhor maneira de utilizá-las naquele indivíduo.

Mas o uso da cromoterapia vai mais longe. A utilização das cores ultrapassa as aplicações em tratamentos físicos e mudanças de comportamento, vale também para a harmonia da casa, do ambiente de trabalho e da vida das pessoas como um todo. Sem deixar de lado até mesmo a alimentação, como frisa Etles: "Nós nos alimentamos de várias formas, existe um ritual também. Um prato colorido, decorado e alegre faz diferença. Traz influências energéticas, além das nutricionais. Quando é preciso tonificar, por exemplo, recomenda-se alimentos vermelhos, que são relacionados com o ferro, como a beterraba, e aos minerais, como o morango. Em dietas de emagrecimento, o melão verdinho-claro é indicado porque é diurético e sedativo. Ele tem componentes adstringentes e acalma."

BOXE 1

PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS DAS CORES

Vermelho: Dá energia e vitalidade. Estimula o sangue e libera adrenalina. Ameniza dores reumáticas e combate resfriados sem febre. Indicado nos casos de pressão baixa, insuficiência cardíaca, anemias, impotência sexual, frigidez, depressão, melancolia e doenças musculares atróficas.

Laranja: Combate a fadiga e estimula o sistema respiratório. O tom é ainda um agente tonificador. Os alaranjados também aumentam o otimismo e a criatividade. Atuam de maneira eficiente nos casos de bronquite e cisto no ovário.

Amarelo: Estimula o sistema nervoso central. Contribui para a regeneração óssea. É indicado nos tratamentos de manias, idéias fixas, preocupação excessiva, fixação em aspectos materiais da vida com lucros, fraqueza, pressão baixa, úlceras gástrica e duodenal, choro excessivo e constante, falta de confiança no futuro, diarréias, colites e doenças psicossomáticas em geral.

Verde: Favorece o equilíbrio hormonal e alivia a insônia. Estimula órgãos digestivos e tem ação antiinfecciosa. A cor pode ser usada em casos de depressão crônica, complexo de inferioridade, psicose maníaco-depressiva, auto-estima diminuída e falta de memória, entre outros.

Azul: Atua nos sistema nervoso, vascular e muscular. É calmante e analgésico. Indicado nos casos de estresse, convalescença, pressão alta, obesidade, taquicardia, insônia, irritabilidade, insegurança, ansiedade, alcoolismo, agitação psicomotora e neuroses.

Índigo: Atua diretamente na corrente sangüínea. Tem ação coagulante e anestésica. É usado em casos de ferimentos e sangramentos em geral, além de doenças nos olhos como glaucoma e catarata. Eficiente no combate à insônia.

Violeta: Ação calmante e purificadora do sangue. Elimina toxinas e estimula a produção de leucócitos. Bom nos casos de pneumonia, tosse seca, asma, irritação da pele e dor ciática. Além disso é eficiente na carência afetiva, crises de personalidade, materialismo excessivo, remorso e sentimento de culpa.

BOXE 2

MÉTODOS DE APLICAÇÃO

Existem diversas formas de aplicação das cores visando a harmonização de aspectos físicos e mentais: da simples escolha de tonalidades usadas nas roupas e objetos de decoração da casa até a mentalização de cores. As maneiras mais comuns de aplicá-las são as seguintes:

- Foco de luz. A utilização de um foco luminoso diretamente sobre o corpo, em um cômodo às escuras, durante meia hora, todos os dias é apontada como a mais conveniente. A luz deve ser emitida por uma lâmpada colorida, colocada em um spot e ser irradiada por todo o corpo. A pessoa deve estar deitada de modo confortável, de preferência sem roupas, para evitar qualquer tipo de interferência cromática no tratamento.

- Água solarizada. Uma garrafa de vidro colorido - ou envolta em papel colorido - deve ser enchida com água potável e posteriormente colocada sob a luz do sol da manhã (das 6h às 10h). Essa água é tomada ao longo do dia, em pequenos goles.

- Mentalização de cores. É um dos métodos mais simples e eficazes. A pessoa deve tentar visualizá-las sobre determinadas partes ou sobre todo seu corpo.



Comente:

Nenhum comentário

Comente com educação